quinta-feira, outubro 16

O amor, quando se revela...


"O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.
Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer
Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pra saber que a estão a amar!
Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!
Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar..."


3 comentários:

Neli Carpinter disse...

Olá!!!

Encontrei seu blog por acaso ao fazer um cadastro no blogger e descobrir que podia fazer busca de perfis por cidade.

Fernendo Pessoa, como sempre um mestre na poesia.

Abraços

Vívian disse...

BOM DIA DARLA

lindos poemas!!!

Fernanda disse...

Sem dúvida, perfeito! Eu que o diga...
Amiga, vc é totalmente Pessoa, afinal, só para lembrar, Álvaro de Campos começou a fazer engenharia mecânica e depois passou para naval e ainda era poeta!!!
bjusss

Related Posts with Thumbnails